Incentivos ao turismo e à agricultura são reivindicações de Barreirinhas, no Movimento Diálogos pelo Maranhão

Multiplicar por quatro o orçamento destinado à agricultura no Maranhão e promover o desenvolvimento regionalizado do turismo nas principais atrações turísticas do Maranhão: estas foram as duas principais questões levantadas durante a segunda edição do Movimento Diálogos pelo Maranhão, ocorrido em Barreirinhas na última quinta (28).

FD 2 (2)Ouvindo a comunidade da região dos Lençóis Maranhenses, um dos maiores pontos de captação de turistas do estado, a caravana dos Diálogos conversou sobre as duas maiores preocupações dos habitantes. Como gerador de renda e desenvolvimento, profissionais do turismo destacaram a necessidade que outros municípios do entorno comecem a desenvolver suas potencialidades, para que o desenvolvimento chegue a todas as cidades da região.

Um dos fatores que entravam o maior desenvolvimento da região é a falta de interligação dos Lençóis Maranhenses com outras atrações turísticas do Nordeste. Barreirinhas faz parte da “Rota das Emoções”, que inclui ainda Parnaíba (PI) e Jericoacoara (CE), mas não possui uma rodovia que interligue-a aos demais pontos.

A construção da linha de interligação com outros estados e com as cidades vizinhas, como Santo Amaro e Paulino Neves, foi uma das reivindicações dos moradores da região. “Turismo é desenvolvimento regional. Não pode ser voltada apenas para uma parte de uma cidade. Não podemos esquecer dos moradores do Parque dos Lençóis, que hoje vivem em situação de exclusão,” frisou Corina Correia.

Flávio Dino destacou ainda que, além do desenvolvimento do turismo, é necessário que outros setores sejam incentivados. Como exemplo, Flávio utilizou a produção do caju, símbolo da cidade de Barreirinhas.

“Aqui, produzimos o doce, mas não enlatamos e nem utilizamos a castanha. A produção verticalizada, que utilize toda a matéria-prima e a prepare para a comercialização. Isso tudo os nossos municípios podem fazer. Não precisa ir para fora, enlatar em outros estados, como hoje acontece por falta de incentivo,” disse.

A primeira solução para reverter este quadro, segundo Flávio Dino, é o poder público tomar a frente nos investimentos para a agricultura. “Só investimos 0,5% do nosso orçamento em agricultura. E num estado que tem o segundo maior litoral do país e grande potencial agrícola, precisamos tornar a produção agropecuária em prioridade,” defendeu.

Para o prefeito da cidade que sediou os Diálogos neste fim de semana, Leo Costa (PDT), a municipalização dos investimentos em agricultura também se caracteriza como forma de consolidar a produção agrícola nas diversas regiões maranhenses.

Estiveram presentes no evento o prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves (PSB), o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB), os deputados Rubens Pereira Júnior (PCdoB) e Bira do Pindaré (PT).

Investimentos no turismo

À frente da Embratur, Flávio Dino tem promovido a divulgação internacional dos Lençóis Maranhenses. Aproveitando o mote da Copa do Mundo e a vinda de estrangeiros para o país, especialmente para Fortaleza (sede da Copa a uma hora de avião de São Luís), a Embratur tem promovido em parceria com a prefeitura de Barreirinhas inúmeras formas de divulgação dos Lençóis Maranhenses.

A Embratur tem por função promover os destinos turísticos brasileiros nos destinos internacionais e, tendo em vista a singularidade da natureza dos Lençóis Maranhenses, a Embratur tem atuado em 18 países para captar turistas para Barreirinhas.

A promoção de eventos na cidade é um dos pontos cruciais para o aumento do fluxo turístico na cidade. Este ano, a Embratur apoia o Festival de Jazz e Blues de Barreirinhas e a primeira edição do Festival Internacional de Arte e Música, que será capitaneado por Zeca Baleiro.

Fonte: http://blog.jornalpequeno.com.br/johncutrim - John Cutrim


Imprimir   Email