A Pandemia do Novo Coronavírus e os Impactos no Turismo Local

No dia 11 de Março de 2020, a Organização Mundial de Saúde (OMS), declarou que a doença causada pelo novo Coronavírus, passou do estado de contaminação para pandemia. Isso quer  dizer que, a manifestação da doença, que teve início na cidade de Wuhan (China), já tomou grandes proporções, se espalhando em vários países do mundo, inclusive no Brasil, conforme a população tem acompanhado.

Diante disso, verifica-se um cenário de crise de saúde pública que se estendeu à toda economia, nos mais diversos segmentos de mercado, destacando-se dentre as grandes áreas afetadas, o Turismo. No âmbito nacional, esse cenário já era previsto, segundo observa Nota Informativa divulgada pelo Ministério da Economia (Brasil), destacando canais pelos quais a economia brasileira poderia ser afetada, entre eles, redução no fluxo de pessoas e mercadorias e interrupção da cadeia produtiva de alguns setores.

No contexto do turismo, tanto as viagens internacionais quanto as nacionais vêm sofrendo impacto negativo. A baixa demanda por novos pacotes, bem como cancelamento das viagens já marcadas, é consequência das medidas de prevenção que as pessoas têm adotado contra a transmissão da doença, assim como uma recomendação das Entidades de Gestão de Saúde, que aconselham a remarcação das suas viagens.

No Maranhão, órgão público competente pela Gestão do Turismo no Estado (SETUR-MA), veiculou a campanha que tomou grande proporção nas redes sociais: “Se tem uma viagem marcada, não cancele, remarque, a pandemia vai passar, e o turismo não. Adia!”. Essa é uma das medidas adotadas para que a o turismo não sofra maiores impactos.

Na capital, São Luís, a Secretaria de Estado da Cultura (SECMA-MA), suspendeu a visitação aos Museus e às Casas de Cultura sob administração do estado por um período de quinze dias, a contar da data de 17 de março de 2020, podendo ser prorrogada conforme necessidade. A medida considera que a visita é uma atividade frequentemente praticada por turistas originários de cidades e outros países onde há registros da infecção.

Importante no cenário da atividade turística no Maranhão, a cidade de Barreirinhas, considerada portal de entrada para o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, já sente os reflexos da crise. “A situação não está muito boa não, está tudo parado num primeiro momento! Já tivemos alguns cancelamentos e adiamentos de atividades por parte de clientes”. Descreve o proprietário de agência de turismo local, Rikson Oliveira.

Seguindo as recomendações do Ministério da Saúde, com o intuito de evitar aglomerações que possam propagar o vírus, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia ligada ao Ministério do Meio Ambiente, também considerou suspensa a visitação em todas as Unidades de Conservação Federais por sete dias, a contar do dia 17 de março de 2020. Nota: “por determinação do Presidente da República, a visitação pública em todas as unidades de conservação federais pelo período de uma semana, a contar da presente data, podendo haver prorrogação”.

Dentre as unidades de conservação com visitação suspensa, no Maranhão estão inclusos: o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses e o Parque Nacional da Chapada das Mesas.

Diante desse cenário, o Portal Barreirinhas reitera a necessidade de as pessoas seguirem as recomendações dos órgão competentes pelo Sistema de Gestão de Saúde e dos profissionais da área, de adotarem medidas de proteção contra a propagação do Coronavírus, além de orientar as pessoas a não veicularem notícias falsas, evitando a disseminação do pânico entre as pessoas. Ressalta-se que o turismo é uma importante ferramenta para economia da cidade e consequentemente a renda dos barreirinhenses, cabe a população, órgãos públicos e empresas privadas unirem-se, afim de retomar os rumos de uma economia saudável e um turismo sustentável.

 

Leia sobre a prorrogação no período de suspensão da visitação aqui.

Por Amanda Sousa

Portal Barreirinhas

 

 


Imprimir   Email